27/01/2017 às 16h48min - Atualizada em 27/01/2017 às 16h48min

Facebook libera denúncia de ‘notícias falsas’. Site anunciou propostas para combater desinformação e cortar verba com anúncios.

Após críticas durante eleição nos EUA, site anunciou propostas para combater desinformação como rotular sites com 'notícias falsas'.

G1
(Reprodução)

O Facebook já começou a testar no Brasil meios de combater a disseminação de notícias falsas. A rede social começou a permitir que os usuários sinalizem quais posts se tratam de publicações que simulam ser notícias mas trazem informações não verdadeiras, segundo constatou a reportagem do G1.

O Facebook não respondeu aos questionamentos feitos pelo G1 até a primeira publicação deste texto. A opção de sinalizar algum post como notícia falsa vale apenas para publicações com links externos – ou seja, não ocorre com vídeos e fotos publicados diretamente no site.

A opção foi incluída no menu para denúncias. Antes da mudança, ao clicar em “denunciar publicação”, o usuário podia escolher entre os seguintes itens: “é spam”, “acredito que não deveria estar no Facebook” e “é irritante ou desinteressante”. Agora, há a opção “it’s a fake News” (isso é uma notícia falsa) — Por ora, a opção de denunciar notícias falsas está disponível apenas para quem possui o inglês como linguagem principal do perfil.

Depois de selecionar o novo tópico, o usuário é encaminhado para outra janela em que é possível, entre outras opções, marcar a postagem como falsa. Em testes feitos pelo G1, histórias que tiveram essa indicação não foram sinalizadas imediatamente.

Apontar conteúdos aparentemente informativos mas que contenham mentiras é uma das iniciativas do Facebook para combater o avanço da desinformação na rede social.

Polêmica

A iniciativa foi lançada após o site ser alvo de críticas após a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos. Usuários, pesquisadores e colunistas de jornais norte-americanos afirmaram que notícias falsas sobre os candidatos podem ter influenciado a escolha dos eleitores.

França e Alemanha temem que o mesmo possa acontecer, já que os dois países terão eleições em 2017.

Propostas

Segundo Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, a empresa desenvolve sete propostas para combater a desinformação de maneira mais eficiente:

1) Criar um sistema mais eficiente para detectar o que os usuários indicarão como falso de fazerem;
2) Facilitar o processo de denúncia de reportagens falsas;
3) Fazer parcerias com empresas de checagem de fatos;
4) Rotular os links denunciados como notícia falsa e mostrar avisos quando eles forem compartilhados;
5) Aumentar a exigência de qualidade para os links que aparecem como “relacionados” na linha do tempo;
6) Dificultar a receita com anúncios dos sites de notícias falsas;
7) Trabalhar com jornalistas para aprender métodos de checagem de fatos.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o NR
Atendimento NR
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo WhatsApp