13/07/2021 às 20h35min - Atualizada em 14/07/2021 às 00h00min

Entenda o Ho'oponopono, mantra usado por Dado Dolabella para se desculpar com Luana Piovani

“Eu te amo. Me perdoe. Sinto muito. Sou grato”

SALA DA NOTÍCIA vanessa haddad
divulagacao
“Eu te amo. Me perdoe. Sinto muito. Sou grato”, essas são as frases que cercam o mantra conhecido como Ho'oponopono. De origem havaiana, o Ho'oponopono promete cicatrizar mágoas e abrir caminho para o perdão, assim como fez Dado Dolabella, neste terça-feira (13). O ator usou as redes sociais para lamentar o episódio de 2008, em que agrediu sua então namorada, Luana Piovani, em uma boate. Para se desculpar com a ex e reconhecer seus erros buscando estar sempre em evolução, o ator utilizou o mantra Ho'oponopono.

“Me envergonho muito, perdi a cabeça, um dos motivos também que me fizeram decidir ser vegano, ser menos impulsivo, reativo... Violência é energia, a mesma inferida é a mesma exalada. Assim como me envergonho também de um dia já ter transformado inocentes (carne animal) em fezes, pagado para matarem por mim... cada inocente, cada vida. Precisamos nos transmutar e sem o perdão não transmutamos. Nos perdoar pelos nossos erros, perdoar o próximo e nos permitir encontrar um caminho melhor. Luana Piovani, sinto muito! Me perdoa, eu te amo. Sou grato! Muita paz na sua caminhada", diz um trecho do desabafo do artista.

A psicóloga Maria Rafart explica um pouco do mantra e revela o poder de mentalizá-lo. “A neurociência admite que os mantras têm o poder de alterar nosso estado físico e emocional. A sua sonoridade, que ao ser repetida cancela pensamentos negativos ou obsessivos, associada ao valor que as palavras possuem, pode, efetivamente, nos tirar de um estado de ansiedade e nos transportar para uma dimensão mais calma e tranquila. As frases da prática havaiana antiga do Ho'oponopono: “sinto muito”, “me perdoe”, eu te amo”, e “sou grato”, quando repetidas à exaustão, fornecem o mesmo caráter hipnótico e calmante que os mantras tradicionais de outras origens filosóficas ou espirituais”, diz.

“Ao repetir estas palavras, ao dizer este mantra, pode-se dar origem a uma catarse, que é uma espécie de depuração mental. A pessoa controla e cancela os próprios pensamentos negativos. O planejamento de atos de vingança, ou até mesmo o rancor, podem dar lugar a um estado mental com menos julgamento sobre o passado, e com menos ansiedade para o futuro. Contudo, para que qualquer cura mental aconteça, a pessoa precisa acreditar. Nenhuma terapia é bem direcionada se o paciente não estiver envolvido. E da mesma forma, a cura através da filosofia do Ho'oponopono exige que a pessoa creia, que se envolva, e que pratique. A intensidade das modificações de crenças cristalizadas e de estados de ânimo negativo varia de indivíduo para indivíduo, mas as respostas costumam ser muito positivas”, afirma a especialista.

Maria Rafart também deixa um alerta. “O Ho'oponopono é um dos caminhos que pode ser trilhado para o autoconhecimento, mas atenção: algumas patologias, como estados depressivos mais graves, exigem o tratamento e o cuidado de um profissional de saúde habilitado para tratar do caso”.


De onde veio o Ho'oponopono:

O mantra Ho'oponopono ganhou visibilidade inicialmente na década de 1980, após a famosa história do psicólogo e escritor havaiano, Ihaleakala Hew Len, que teria reabilitado todo um pavilhão hospitalar de detentos utilizando o mantra e lendo os prontuários médicos sem fazer contato direto com nenhum dos pacientes. Os relatos do terapeuta apontavam que a agressividade e os sintomas psiquiátricos reduziram significativamente nos pacientes após a técnica de mentalizar o Ho'oponopono.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o NR
Atendimento NR
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo WhatsApp